22 de junho de 2005

TEMPERAR é PRECISO




Mexican Tarot / José Raúl Pérez


Temperar é uma obra de exatidão. Mas de uma precisão plástica, movente, em andamento, em eterna moldagem: o preparo. Temperar acontece no tempo. Fala de demora. O ato de equilibrar dentro espelhado fora, proporcionalmente. Aí estão contidos o apaziguamento do díspar, o amálgama do diferente. A Justa Medida.

É possível suavizar. É possível apimentar. A avaliação pontual é ditada pela intuição de quem adquiriu o controle interno das sensações: o calor que protege, o frio que acalma.

O equilíbrio conquistado. Sabe-se, sem régua ou cálculo aparente, o ponto a ser atingido. Transfere-se o que vai na alma para o mundo exterior. Como Água para Chocolate.

A Temperança agrega, em sua função de mescla, significados de alguns arcanos aparentados - o ajustamento da lâmina VIII, os processos de purificação da Estrela, a dança da bailarina do Mundo. É equilíbrio, como na carta da Justiça. Mas não o equilíbrio frio da espada. Se a Justiça separa, a Temperança vincula. Está em contato com a terra e a água, como a Mulher-Estrela e também porta a ânfora. Mas a Estrela mostra o que é íntimo, enquanto a Temperança é o próprio processo de intimidade. Se a Estrela expõe, a Temperança contêm. O bailado do Anjo, comparado ao arcano XXI, é internalizado.



Exposição Andrea Vitali / Temperance

Se pensarmos que cada carta age na estrutura interna do tarot com suas próprias qualidades, a Temperança nutre toda carta que a circunda - mistura significados de outras imagens em si mesma, da mesma forma que o Mago pode acionar em cada arcano a força individual dos naipes (não tem o prestidigitador sob seu controle as moedas, as taças, os bastões e a espada? Mas o mago é um bricoleur, mistura elementos heteróclitos e nos dá a imagem composta – um mosaico).

Sophrosyne. Moderação. Calma. Sedação - são palavras contidas na Temperança. Mas o poder do arcano XIV no Tarot, comparado com a antiga imagem da virtude que porta o freio nos livros de Iconologia, é maior: pode colorir com guache delicado o que está demasiado pálido. Salgar levemente o insosso. Apimentar a substância sem graça. Sempre na medida certa. Como em Água para Chocolate.

Nenhum relacionamento se fixa, em sua perene mutabilidade, sem o poder do Anjo que Tempera. O Enamorado desconhece seu poder, ainda não chegou lá, é neófito, candidato. A flecha de Cupido acabou de tocar seu coração. Nas cartas da Escola Francesa vemos um homem entre duas mulheres, uma loira e outra morena - o protagonista em situação de impasse. A carta é comumente interpretada desta forma. Mas se tomarmos a “mulher morena” como um sacerdote, a situação muda de figura. Assim como nas imagens da Escola Inglesa, temos a cena de um casamento.

Seja como for, o Enamorado fala de um começo, de surpresas. A ligação entre o homem e a mulher está se dando, repleta de encantamento e esperança. O casal ainda não conhece o amálgama, com suas dores e delícias. A verdadeira Aliança Interna. A carta do Sol, terceira imagem da tríade dos relacionamentos no Tarot, representa o desfrute momentâneo que só é possível a partir da ação contínua da Temperança. Sem ela, não existe amor.


Altered Tarot / Temperance

A Temperança rege os processos de envolvimento, o orvalho íntimo, a saliva que se mistura, os sucos, o suor compartilhado. O mesmo cheiro. Quase o mesmo gosto. Íntimas suculências. Como em Água para Chocolate - feitos um para o outro.

Os filmes românticos e seus finais previsíveis apresentam, não raro, o Enamorado em ação. A felicidade conquistada é o Sol. Não nos convencem porque sabemos que algo ali está suprimido, a maior parte da mistura. É na Temperança que acontece a Alquimia Amorosa. Se a alma gêmea existe, é impossível viver ao seu lado sem a ação do anjo que tempera. Os relacionamentos que se partem, é aí que se perdem. Na sutil arte da mistura faltaram elementos necessários, ou ainda, a calma daquela que, delicadamente, transforma pedra em ouro.

Se a Temperança é traduzida por moderação, seus efeitos podem ser bombásticos. O anjo apenas olha – Como em Água para Chocolate, é possível assistir a magia operada pelo alimento. A gula de quem sorve, engole, sob o olhar arguto do cozinheiro. Ninguém cozinha bêbado com bons resultados.

Ao lado do Diabo, arcano XV, a Temperança é tradução da febre que avassala. Temperar não é apenas reter. Refrear.

Se observarmos bem as taças, é notória a impossibilidade física no fluxo das águas. O anjo manobra ânforas mágicas. E plasma, no seu interior, gosto, cheiro, tato, olhar. Refresca e amorna. Esfria e aquece. Trabalha com o que é essencial, vertendo seiva em seiva, incorporando, envolvendo, aglutinando.

Reversibilidade. Colaboração e contato.

Harmonia.

*********

Ofereço, com todo o meu carinho, esse pequeno ensaio à Vera Tanka, taróloga que no dia de ontem, solstício de inverno, partiu com o anjo que tempera para outra esfera.

Estamos aqui Tanka. Lembra da gente.

Zoe de Camaris

4 comentários:

Giancarlo disse...

Querida Zoe,
Fiquei sensibilizado com a homenagem à Vera (e obrigado por me citar também na matéria sobre o mesmo Arcano, logo abaixo).
Temperar é moderar, encontrar um denominador comum, o "gosto" ou jeito certo. A Temperança capacita entendermos que a vida é cheia de diferenças, cabe a cada um de nós aprender a combinar elementos aparentemente contrários em nosso caminho. Eis a graça de se viver!
Abraços!!!

Lucinha Horta disse...

Zoe! adorei seu blog! já fiquei sua fanzoca! me conta como posso arrumar ese tarô lindo que está aqui nesse post! maravilhoso!!!! meu sonho é desenhar um tarô, ainda vou realizar com certeza. um beijo grande.

Anônimo disse...

Who knows where to download XRumer 5.0 Palladium?
Help, please. All recommend this program to effectively advertise on the Internet, this is the best program!

JEAN O ASTRÓLOGO ,TARÓLOGO E ESCRITOR DE TARÔ disse...

O arquétipo da temperança, para muitos de meus clientes não agrada muito não, pois sempre mostrou um relacionamento muito parado, casados mas meio amiguinhos, sem muita paixão ou nenhuma, calmo demais, parado demais e sem muita graça. Ora, para alguns com uma libido muito forte, com certeza existe o risco de um dos parceiros buscar prazer fora do casamento.
Outra experiência pratica é que como a grande maioria tem pressa de realizar as coisas, com a temperança você vai esperar anos anos anos...e demora pra chuchu...o espírito que vive dentro de meu ser detestaria viver a temperança...com certeza não tem muita graça...
Na pratica com clientes, eu observei que o arcano maior 15 o diabo que aparece para meus clientes é o que consegue realizar e conquistar as coisas que deseja, pois vai com mais força e ambição a meta , enquanto o anjinho da temperança fica lá esperando...esperando...

jean o tarólogo