28 de setembro de 2005

CAIU A CASINHA


The Tower / Lunaea Weatherstone


Uma aluna me perguntou novamente sobre o tempo no Tarot - e eu me pergunto, pra quê? Datas são datas que são datas que são datas. Há uma evolução na leitura que permite perceber onde o tempo se acomoda, onde sai correndo.

Uma noite dessas - bad night, bad trip - tirei a famigerada "Torre Abatida pelo Raio", vulgo "A Casa de Deus" (Deus? Sei ...) Como não dou mole pro destino, tratei de ir buscar a cura no Sol. E quanto mais escrevia sobre o Arcano XIX, mais os raios me queimavam nesse maldito frio curitibano. Não importa, fiz o que precisava ser feito, saí da carta inspirada pelo imperador e pelo arquiteto cabriolando - eu poderia dizer manquitolando, mas deixa pra lá.

A Torre pede a reconstrução promovida pelo Sol. A Estrela inspira, respira, espera, no entanto (sempre os advérbios) segue-se a Lua, o momento mais solitário e triste do caminho. Só o Sol cura, só ele pode cicatrizar. Só sob seus efeitos se constrói um muro novo, com tijolos recém saídos da olaria. Tijolos que apenas protegem, não escondem. Com a Torre cai aquilo que não nos pertence e por isso nos liberta - apesar da dor. É uma construção intelectual que desaba. Uma idéia falsa. O Amor, o Sonho, a Resposta, moram em outro lugar. O trajeto então se dá: A Estrela, A Lua, O Sol.

Hoje o sol está querendo sair na gélida Curitiba.
É Primavera. Dizem.

Tempo? Alguém falou em Tempo?

Zoe

Um comentário:

rape stories disse...

Best of the text i read about a problem.