21 de fevereiro de 2008

A RODA


The Wheel of a Fortune by Degare



Habito numa roda.
Dou-me conta disso
segundo as árvores.
Sempre que olho pela janela
vejo-as:
quando, as folhas no céu,
quando, as folhas na terra.


E segundo os pássaros,
que voam
com uma asa para o sul
e com uma asa para o norte.


E segundo o sol,
que me nasce
hoje no olho esquerdo,
amanhã no direito.


E segundo eu,
que ora sou,
ora não sou mais.


Marin Sorescu

2 comentários:

Erika, disse...

cadê suas cartas, mo bem?

Andréa Caselli disse...

E nos giros da minha roda...encontrei seu blog...o outono leva à descobertas fascinantes.
Li seus artigos no Encanto e Magia...agora chego aqui com aquela sensação de novidade que tem o céu nublado depois dos dias quentes do nordeste.Abraço e sucesso.
Andréa Caselli ou http://mermelusina.blogspot.com/