6 de abril de 2009

Os 7 Pecados no Tarot



Uma taça com água pela metade pode estar meio cheia ou meio vazia. Se considerarmos que ela está meio cheia (ou nem uma coisa, nem outra, apenas equilibrada) podemos pensar os pecados capitais como o filósofo Vilém Flusser, em A História do Diabo. Flusser considera que os 7 pecados são signatários de uma visão comprometida, traduzidos através do uso de termos arcaicos e tendenciosos pela Igreja em sua propaganda antidiabólica. E substitui a visão corrente por termos neutros e modernos. Funciona bem para repensarmos a velha lista. Vamos lá?


SOBERBA é a consciência de si mesmo;
AVAREZA é economia;
LUXÚRIA é o instinto de preservação da vida;
GULA é a melhoria do standart de vida;
INVEJA é a luta pela justiça social e liberdade política;
IRA é a recusa em aceitar as limitações impostas à vontade humana, portanto é dignidade;
PREGUIÇA (ou tristeza) é o estágio alcançado pela meditação calma da filosofia.

Interessante, não? Eu gosto de colocações que deasafiam o ponto de vista comum.
A taróloga Mary Greer vê os 7 pecados capitais no 7 de copas. Sim, dá pra pensar. Mas seria possível encontrar nos arcanos menores do Tarot Waite/Smith a representação dos 7 pecados? Hum... Medo de forçar a barra. Mas pode funcionar como um exercício, desde que não signifique prender as borboletas em alfinetes. Olho nas imagens querendo casar-se com alguns conceitos por aproximação:


ORGULHO - O herói ostenta os louros da vitória e retorna triunfante, rodeado por seus seguidores. Aproveitando a pegada flusseriana, ei-lo consciente de seu valor, empertigado e vaidoso no seu cavalo. Na visão tradicional, a arrogância seria a fonte de todos os outros pecados e o mais grave dentre os 7, já que Lúcifer "criou"o inferno a partir de sua infinita Soberba ao querer igualar-se a Deus. A virtude que se opõe ao Orgulho seria a Humildade, a Modéstia.


AVAREZA - Economia, sim. E proteção, são dois dos significados do 4 de Ouros. É a carta do avarento - aquele que fecha não só a sua mão, mas também os seus chacras. Em uma leitura pode significar que o consulente precisa ter cuidado com suas posses ou que está se agarrando demais aos bens materiais. Como no pecado/arcano anterior, a imagem é bastante explícita favorecendo a correlação. Para combater a Avareza, temos a Virtude da Generosidade.


GULA - Bem, podemos dizer que este senhor com seu camisolão listrado e seu chapéu vermelho com penacho está um tiquinho acima do peso. Uma estranha mesa alta o rodeia, onde se observam nove taças. Ele traz os braços cruzados, mostrando que está centrado e nos sorri com uma impressão satisfeita. Estariam os cálices vazios pela glutonaria do nosso personagem? Seria apenas a vista parcial de uma mesa de banquete que esconde os ossos do pernil e uma fartura de doces? O Nove de Copas nos fala dos prazeres triviais e festas com satisfação física, segundo Rachel Pollack. Para combater a Gula, temos a virtude da Temperança. Para Flusser, nosso amigo melhorou seu status.


LUXÚRIA - Mais um pecado do excesso. O apego à extravagância e aos prazeres carnais. A imagem não é explícita, mas sabemos que a carta nos aponta para uma enchente de sentimentos. O rapaz parece mais do que satisfeito, enfastiado até. Sua apatia nos lembra mais a Preguiça do que a avidez sexual. No Thot Tarot o título do Arcano é Luxúria, o abandono aos desejos. Para combater o pecado capital, temos a Virtude da Castidade. Para Flusser, temos na Luxúria o instinto de preservação da vida.

INVEJA - A Inveja age dissimuladamente. Seu poder mina lentamente e na escuridão, longe de nossos olhos. Aqui temos uma personagem sorrateira que pé ante pé parece levar espadas tomadas das tendas que aparecem no fundo da carta. Um ladrão zombeteiro, amigo do alheio, que parece comprometido com a leveza. É a carta da superficialidade mas que dentre os arcanos menores do Tarot Waite mais parece se aproximar à idéia de Inveja, tomar o que é do outro. Ou pior ainda, apenas fazer com que o outro perca sem necessariamente desejar o objeto que causaria o pecado capital. Para combatê-la, teríamos a virtude da Caridade. Para Flusser, seria tomar daqueles que já têm demais, uma busca do equilíbrio.


IRA - Cinco rapazes lutam com seu bastões. A imagem nos sugere a idéia de rivalidade mais do que à Ira, propriamente dita. Esse embate juvenil parece ser inócuo enquanto a Ira sempre causa muitos estragos. É o pecado da violência e do descontrole. Para combatê-lo temos a Paciência, a mais nobre e gentil das Virtudes. Para Flusser é o exercício da dignidade que encara o rompimento dos limites.


PREGUIÇA - A preguiça me traz uma impressão de "moleza", bem ao contrário da imagem do 4 de espadas onde observamos um homem ou a estátua mortuária de um homem repousando sobre a lage fria. O 4 de espadas me transmite mais a idéia de recolhimento e imobilidade voluntária do que a indolência inata. Mas sem dúvida, seria o arcano mais adequado para caracterizar a "não-ação", a negligência, a apatia, a ausência de amor e também a tristeza que assinala a acedia. A preguiça pode ser combatida pela virtude da Diligência, zelo e presteza. Para Flusser, a meu ver quase num rasgo de bom humor, temos o "pecado" da Filosofia, estágio avançado causado pela meditação.

E você? Qual é seu pecado favorito?


Zoe

2 comentários:

Otávio Duarte disse...

Boa visão dos contrários, Zoe. Uma pessoa sem defeitos já teria isso como problema. Talvez até para o bem, quase tudo é convenção. O estabelecimentos das virtudes procura estabelecer princípios de convívio e socialização. Mas, governados pelos instintos e refreados por tabus e leis, sofremos, nem tanto ao mar nem tanto à terra.

Senhor da Vida disse...

interessantes visoes, a que mais gostei foi a do 4 de ouros, porque no momento de crise, ela se torna por essa visao: lapo luz- cautela diante da crise, ou ate medo. E lado sombra- a ganancia de quem popde doar, investir, e nada faz pelo pecado da avareza.
Adorei!