17 de dezembro de 2006

Sete mil vezes




Sete mil vezes
Eu tornaria a viver assim
Sempre contigo
Transando sobre as estrelas
Sempre cantando a música doce
Que o amor pedir para eu cantar
Noite feliz
Todas as coisas tão belas





Sete mil vezes
E em cada uma outra vez querer
Sete mil outras
Em progressão infinita
Quando uma hora grande e bonita assim
Quer se multiplicar
Quer habitar
Todos os canto do ser





Quarto crescente para sempre
Um constante quando
Eternamente o presente você me dando
Sete mil vidas
Sete milhões e ainda um pouco mais
É o que desejo e o que deseja esta noite
Noite de calma e vento
Momento de prece e de carnavais
Noite de amor
Noite de fogo e de paz



Caetano Veloso

Um comentário:

Marcia Davies disse...

Zoe,

Que como Caetano tem sete vidas, todas as sete em centenas... e o SETE DE COPAS maravilhoso sob seu estandarte maravilha.
Viva a perspectiva leonina...
Parabéns pela escolha de texto e imagens. Assim recolocadas as palavras são sete vezes sete vezes renovadas! Como um poema novo a cada leitura.
Abundância...