22 de janeiro de 2009

+ 3 cartas para Obama

Por curiosidade - tarólogos são curiosos incuráveis - resolvi tirar três cartas para Obama. Tenho assistindo TV aberta mais do que gostaria e a cobertura da posse foi o mote do dia 21 de janeiro. Lá pelas tantas, antes que a primeira dama trocasse de roupa para o baile, sem muita preparação ou pergunta elaborada saquei o tarot de Marselha abri o leque. Vieram ilustrar a mesa A Morte, O Eremita, O Julgamento.

Como política não é minha praia, evitei arcanos menores e achei a arrumação suficiente. Também não marquei as casas dentro dos esquemas Passado/Presente/Futuro ou pensei em Tese/Antítes/Síntese. Desejei um retrato da situação. E elas se apresentaram.



Curioso, considerei. A Morte e sua gadelha, ceifando o que precisa ir embora. A mudança radical que Obama representa para diversos segmentos. Até aí, perfeito. Passo sem maiores detalhes pelos segredos do Eremita e a imagem explode - O Julgamento. O Apocalipse. O Aeon. A Nova Era. Todas as representações do arcano XX vem à minha cabeça, rapidamente.

Putz, como o Tarot pode ser óbvio. Mas não sei ainda o porquê. Pensando bem, a seqüência poderia se referir ao momento da posse. Um flash. Neste caso - deuses meus - como pode um homem em meio à explosões de alegria se sentir tão sozinho! Ingenuidade sua, Zoe. Este é homem mais visado do mundo. Ele está rodeado por um universo de gente. Mas ele não vê o Mundo e nem a festa. Não escuta as trombetas. O Eremita olha para A Morte. Obama está só.

E eu, preciso ir fazer outra coisa. Não assisto ao discurso de posse.

A eficácia dos guarda-costas do Eremita é melhor do mundo, presume-se. E ali ele tem uma corcunda. O que traz escondido sob as vestes? - observou meu amigo, o tarólogo e lenormando Alexsander.

Sei que o Eremita fez um caminho rendado, é viajado, conhece todas as paragens. É o Louco Velho, experimentado. Traz uma lanterna - em antigas versões uma ampulheta. É Saturno, o deus do Tempo. Não compactua com O Hierofante, aquele seguiu uma hierarquia rígida e abalizada. O Eremita jamais será um conservador.

Aí comecei a pirar na gorgutinha e vi que no Tarot Camoin & Jodorowski o bastão do Eremita é vermelho. Vermelho como a gravata dos democratas. Vermelho como o famoso botão na Casa Branca, perto do telefone. Pensei na Guerra, em bombas atômicas. Mas aí já achei que estava pra lá de Nostradamus e antes que lembrasse da pílula azul e da vermelha, resolvi abrir a tiragem para a discussão com meus nobres pares tarólogos e simpatizantes.

O que vocês consideram? O que a Morte transforma, o Eremita esconde e o Julgamento revela?


Zoe
p.s. : uma sugestão de leitura - passem no Café Tarot e leiam o post do Leo Chida sobre o Imperador e novo presidente dos E.U.A.

4 comentários:

edujanu disse...

gostei do seu blog, dei uma lida em alguns post, vou indicar um blog pra vc, de um amigo meu
http://www.deldebbio.com.br/
=p
t+

Alexsander disse...

Minha querida, vamos a isso!

Grande momento para o mundo. Mta expectativa mas também um certo alívio na saída do Bosta, oops, do Bush. E a gadelha da sra anorética corta a cabeça dele!
Uma das coisas legais dessa primeira carta é esse corte preciso e radical, cirúrgico, extraindo o câncer.Bush sai, Obama entra.

O arcano sem nome mostra, como no descascar de uma cebola, que a cara da américa vai mudar, corta-se cabeças indicando que a maneira de ver o mundo já não é mais a mesma. Corta-se mãos indicando que a ação, as atitudes já não serão mais as mesmas. Cortam-se pés mostrando que a direção e a maneira que se caminhava são outras.

Os pedaços esquartejados da antiga américa caem no chão e são engolidos pela terra.

Um negro no governo.

A américa muda de cara, tudo muda.

O Eremita anda vagaroso e silencioso, guardando seus planos para si e indicando que algo vai surgir mas não agora. Ele caminha em direção a luz no fim do túnel e vai devagarinho, sem pressa e escondendo seus interesses e ideias, cheio de segredos mostrando o desenvilvimento de algo em sigilo. Aqui tem coisa. Obama está rodeado de gente mas sozinho. Sozinho em que? Acredito que em seus planos, saving the best for last.

O eremita busca a morte, ele caminha em direção a ela. Tudo começa com a morte, com a mudança e o meio busca o começo. Ele quer mais, descascar, esculpir, limpar mais essa américa. Acredito que aqui haja interesses e intenções maiores do que se pensa. As coisa não vai parar no governo de um negro como fator que marca uma novidade. Ele pretende continuar esse processo de renovação e não vai poupar recursos escolhendo, na prudencia do eremita que ilumina o seu caminho com a lanterna e ainda assim toca o chão com o bastão para ter certeza de onde pisa não confiando só na visão pq ele já transcendeu os 5 sentidos.

Aqueles pedaços de américa que cairam com a lamina da morte decompõem-se no solo e se desenvolvem debaixo da terra fertilizando-a, tudo isso acompanhado e direcionado pelo sabio e solitário eremita.

De repente, na surpresa característica do julgamento, uma grande comoção afeta o mundo. A nova era se inicia. Tudo novo, os mortos se erguem dos túmulos renovados, pq quem morre e volta nc mais é o mesmo. E a america renasce nas mão de obama que guarda mts truques na manga.

Não poderia haver uma síntese melhor de um eremita que busca a morte do que um julgamento.

Não se se isso indicaria uma guerra ou uma mudança assim tão agressiva mas que esse julgamento mostra a morte do american dream, ah isso mostra. Novos paradigmas se instauram e o destino faz cair sobre a nação americana o peso de suas ações passadas forçando um amadurecimento, uma transformação, uma mudança de ideias.

gete, preparem-se pois isso vai tudo vai ser muito forte.

E se houver alguma dor, essa vai ser mais no povo americano, acredito eu.

Obama vai fazer uma américa nova.

Zoe disse...

Edu,

Grata pela sugestão, vou passar lá e conferir.

Alexsander,

Perfect! Suas opiniões são sempre acertadas. E vamos ver, tô curiosa pra saber o que Obama leva na corcunda...

besos,
Zoe

Anônimo disse...

Olá,

Considero que o Eremita vai tirar a morte pra dançar. Percebam que as mãoes esquerdas das figuras parecem querer se tocar

Vejo acertos e erros e alguns tropeços na "dança" (caminhada).

As mudanças que ele pensava poder fazer logo no começo de seu governo vão ser adiadas enquanto Obama estiver dançando com a morte. Nem sempre será ele que decidirá apertar o botão contra o mundo, prefirirá se afastar. Mas para o mundo a decisão sempre parecerá ter sido dele.
Porém, contra si mesmo a decisão é pessoal apesar de ser inconsciente e fruto da soma de escolhas conscientes.

Quem deve morrer primeiro é Obama, para renascer em segredo e mudar o mundo através da sutileza e graciosidade de um velho sábio que ao dançar com a nova vida já não precisa mais guardar segredo e nem nem tampouco se apoiar em bengalas.

Velhos amigos serão substituídos, principalmente os conselheiros do botão.
E aí então poderemos conhecer o sábio e corajoso anunciado pelas trombetas da nova era.

selner@live.com